São animais carnívoros e de hábitos noturnos. Causam incômodos e perigo à saúde, sua picada é dolorida e sua toxina pode provocar reações alérgicas e até a morte. Sua atividade é noturna e sua alimentação é baseada em insetos como cupins, grilos, baratas, moscas e mutucas, e também de outro aracnídeo, a aranha. Durante o dia permanecem nas tocas, sob pedras, sob madeiras, sob ruínas, etc. Nas residências, são encontrados nos espaços vazios no solo, no sótão, atrás de batentes de portas, em janelas, fundos de armários, dentro de sapatos, de roupas, etc. O tempo de vida pode variar entre 4 e 25 anos, dependendo da espécie.

Preferem viver em áreas com temperatura entre 20°C e 37°C, mas sobrevivem em temperaturas entre 14°C e 45°C. Perfeitamente adapt ados às condições climáticas do deserto, suportam uma amplitude térmica diária na ordem dos 40ºC.

Os escorpiões têm uma forma de se alimentarem característica, usando suas quelíceras. Estas são pequenas garras que saem da boca, muito afiadas, que são usadas para retirar pequenos pedaços de alimento da sua presa e colocá-los na boca. O escorpião só digere alimentos em forma líquida, rejeitando qualquer matéria sólida (pêlo, exoesqueleto, etc.).

Os predadores naturais do escorpião são lacraias, louva-a-deus, macacos, aranhas, sapos, lagartos, seriemas, corujas, gaviões, quatis, galinhas, camundongos, algumas formigas e os próprios escorpiões.

Destaca-se o fato de que, quando da escassez completa de alimento, os animais desta espécie praticam o canibalismo para sobreviver, ou seja, devoram seus semelhantes.

Os escorpiões conseguem comer quantidades imensas de alimento, mas conseguem sobreviver com 10% da comida de que necessitam, podendo passar até um ano sem comer e consumindo muitíssimo pouca água, quase nada durante sua vida inteira.